Sobre ser mãe real

Photo by Peignault Laurent on Unsplash
Olá pessoas!
Hoje eu resolvi dá minha versão sobre a maternidade real, mas aviso logo: se você está esperando mais um textão clichê sobre as dificuldades, sobre a enganação das imagens de mães felizes e blá blá blá.... Não!

E também quero deixar claro que o que tenho pra falar não considero uma verdade universal, mas é a minha, meu pensamento, minha opinião... Enfim, você pode concordar ou não, direito seu, né? rsrs

A meu ver, o problema desses textos falando da ilusão da maternidade perfeita é que tem gente que realmente idealiza isso. Todo mundo sabe - ou já leu ou já ouviu falar - do perrengue que é ser mãe. Tanto das que trabalham fora quanto as que trabalham só em casa. Ninguém nunca disse que a maternidade é um mar de rosas o tempo todo. Como tudo na vida, existem altos e baixos.

E daí se tem mãe que gosta de falar só das coisas boas, que gosta de postar só fotos dos momentos legais e felizes? Ela não tá dizendo que a vida é só isso, ela apenas prefere falar sobre o lado bom.

Minha vida não é melhor nem pior do que a de qualquer outra mãe, mas não fico me comparando a ninguém, cada uma sabe das suas dores, seus cansaços, suas frustrações. Eu comparo, sim, à vida que tinha antes de ser mãe. Se isso é legal ou não... não sei. O que sei é que quanto mais eu penso no antes, mais feliz eu percebo que sou agora. Não troco este momento por nada e viveria tudo de novo, com certeza.
Um amiga perguntou como era minha casa antes de ter filho. 
Prontamente eu respondi: tudo arrumado, no lugar, limpo, silêncio... 
E ela completou: mas passava o dia só. 
Eu olhei pra minha filha e a sala virada pelo avesso e só consegui falar: É

Por que perder tempo falando como é difícil, se posso falar como é fácil amar esta criaturinha que me completa tanto?
A vozinha quando canta pra mim, quando reclama...
Quando me chama de mãe. Ah esse momento é único.
Será que um dia vou me acostumar com essa palavra? Mãe! Me sinto tão exclusiva, tão feliz, tão preenchida... Mas depois da décima vez, em menos de meia hora(!) começo a querer arrancar os cabelos! rsrsrsrs
As mãozinhas ainda gordinhas de bebê, tão gostosas de pegar e acariciar.
Os abraços sempre aconchegantes e minha vontade de ficar ali pra sempre, mas ela não! rsrs

Enfim, minha pequena só tem 3 anos e então você, mãe de quatro ou mãe de adolescente, fala "sabe de nada, inocente!" kkkk
Eu sei, tenho muito o que aprender, mas - sem fazer promessas - espero tirar proveito da melhor parte dessa jornada maravilhosa, única, louca e cansativa que é ser mãe.
Não almejo ser uma super mãe já que isso não existe, só espero ser uma boa mãe, pra mim já tá de bom tamanho.

Um beijo e até a próxima!

Photo by Peignault Laurent on Unsplash

Compartilhe

Acho que você vai gostar