O que você deve saber sobre a pílula do dia seguinte

o-que-vc-deve-saber-sobre-a-pilula-do-dia-seguinte
Se acha que tudo o que deve saber é que ela é uma pílula de emergência que serve para evitar a gravidez, engana-se. A pílula do dia seguinte é um medicamento que merece atenção e muita cautela quando usado.
Quer saber por que? #SóSeForAgora

Apontando para cimaA pílula do dia seguinte evita a gravidez por ter doses altíssimas de hormônios, impedindo que o óvulo fecundado grude na parede do útero e gere um bebê.
Por esse motivo: altas doses de hormônio (o equivalente a dez pílulas anticoncepcionais normais!), ela deve ser usada apenas em caso de emergência, ou seja, se a camisinha estourar na hora H ou se você se esquecer de tomar o anticoncepcional. Nunca como um contraceptivo.
Apontando para cimaExistem dois tipos de pílula. A de única dose pilula-do-dia-seguintee a de dois comprimidos (um deve ser ingerido logo depois da transa e o outro, após 12 horas).
Apontando para cimaComo todo método, há risco de falha, portanto quanto mais cedo a pílula for tomada, maior a sua eficácia. Apesar de ser indicada até 72 horas após o ato, ela tem um efeito maior dentro das primeiras 48 horas.
Apontando para cimaEla não é um abortivo. Isso quer dizer que age antes que a gravidez ocorra. A pílula funciona evitando a ovulação e atrasando a chegada dos espermatozoides. No entanto, se o embrião já estiver implantado na parede uterina - já tenha iniciado a gravidez - ela não tem efeito  algum.
pilula-de-emergenciaApontando para cimaTem efeitos colaterais - náuseas, dor de cabeça, sensibilidade nos seios, mal-estar e vômitos são sintomas comuns.
Mais: se usada com frequência, perde a eficácia, além de desregular o ciclo menstrual (adeus, tabelinha!), deixar a pele oleosa e causar acne.
No caso de vômitos ou diarreia nas duas primeiras horas após a ingestão, a dose deve ser repetida. Quem tem organismo sensível a medicamento e está tomando a pílula com indicação médica deve pedir a indicação de um remédio contra enjoos para tomar ao mesmo tempo
Apontando para cimaPra comprar – você só precisa ir na farmácia e pedir. Não precisa de receita médica.
Apontando para cimaCamisinha sempre! - o contraceptivo de emergência não a protege das doenças sexualmente transmissíveis. Contra elas, só mesmo a boa e conhecida camisinha.
Você viu?
 Dia 2 de agosto foi publicado no Diário Oficial a lei que determina o atendimento obrigatório e imediato no Sistema Único de Saúde (SUS) a vítimas de violência sexual. A partir de agora, as vítimas de estupro poderão receber a pílula do dia seguinte mesmo sem fazer o boletim de ocorrência.
É sempre bom lembrar – Converse com seu ginecologista antes e não esqueça a camisinha nunca!

Dúvidas?

Bjinhos e até a próxima! 0/
Dani
Fontes de pesquisa: Boa Forma, Atrevida, Veja

Compartilhe

Acho que você vai gostar