Ideias bacanas para reutilizar tubos de papelão

capa1aOlá, pessoas!
Voltando a falar de duas coisas que gosto muito: Artesanato e reciclagem! Lembram do post sobre Cds e DVDs velhos?
Agora é sobre uma outra paixão minha: Artesanato com papelão!
Ainda vou falar muito sobre isso – vão ter que me aguentar! rsrs -, mas hoje vamos ser mais específicas: Tubos de papelão, ou rolinhos… como queiram chamar.
Joga-fora-no-lixoPerguntinha básica: Quando o papel higiênico e/ou papel toalha acaba o que você faz com os tubos de papelão?
Pois é, eu também jogava no lixo… até um tempo atrás! Agora eu guardo todos.
E de tanto falar sobre, comecei a ganhar também uns tubos bem maiores e mais resistentes.
Sempre me perguntam o que vou fazer com eles!
Abaixo, algumas ideias:
  Porta-lapis Link da imagem e passo a passo: Casa de Retalhos  
LanternasLink da imagem e passo a passo: Just Crafty Enough
porta-pulseira-colaresLink da imagem e passo a passo: Painel Criativo
moldura Link da imagem e passo a passo: Made2Style
quadro Link da imagem e passo a passo: Revolutionaries
pufe-ou-mesaLink da imagem e passo a passo: esprit cabane
organizador Link da imagem e passo a passo: Revista Artesanato
Gostaram?
Em breve mais ideias, ok?
Bjnhos e até a próxima! o/
Dani

Evite a desidratação em dias de calor

Evite-a-desidratacao-em-dias-de-calorGente, que calor é esse?????
O ar, o vento, a água, o chão, as paredes… tudo está quente!
Que sensação horrorosa! Você vai tomar banho e quer ficar lá pra sempre, apesar da água sair morna, mesmo com o chuveiro desligado…
calor1
Neste instante, enquanto faço esta postagem, está marcando 33º e mesmo com dois ventiladores ligados e tomando água direto a sensação que tenho é que estou derretendo.  Ai que saudade do frio…
Pois é, em tempos assim, quando temos uma vaga idéia de como é o inferno, devemos tomar certos cuidados para evitar coisa bem pior do que sentir muuuuito calor.
A desidratação, por exemplo.Ela ocorre se a água eliminada pelo organismo através da respiração, suor, urina, fezes e lágrimas, não for reposta adequadamente. Isso pode acontecer quando a ingestão de líquidos é insuficiente nos dias de muito calor por causa da transpiração excessiva.
O que pode acontecer no seu corpo quando você fica desidratado - Perda de energia
- Diminuição da performance durante o exercício
- Cãibras
- Dor de cabeça leve a moderada
- Náuseas e dores de cabeça mais fortes
- Pressão baixa - no calor os nossos vasos dilatam e existe uma maior dificuldade do sangue, que circula nas pernas, voltar para o coração, isso na maioria das vezes, pode ser tratada com uma melhor hidratação.
Recomendações
* Beba bastante líquido, pelo menos dois litros por dia e não devemos esperar ter sede para começar a tomar água. Quando sentimos sede já estamos levemente desidratados. Beba-bastante-liquidoAlém da água, o chá e o suco também auxiliam, mas vale lembrar que este último, contém calorias (neste caso não deve se acrescentar açúcar). Com relação aos chás, opte pelos de ervas ou descafeínado.
As bebidas que devem ser evitadas em excesso são os refrigerantes, pois a capacidade de hidratação é pequena, em virtude da presença de gás e do alto teor de açúcar, as alcoólicas, estimulam ainda mais a perda de água pela urina, além de serem calóricas.
Os isotônicos contêm um teor de sais minerais elevado, sendo mais indicados para atletas, os quais têm uma perda muito intensa de água e sais minerais através do suor, necessitando de uma reposição rápida, obtida com esse tipo de bebida.
Verifique se as crianças e os idosos estão tomando a quantidade de líquido necessária para manter a boa hidratação do organismo. Nessas faixas de idade, muitas vezes, eles se esquecem de fazê-lo;
Uma das maneiras fáceis de avaliar se ingerimos líquidos adequadamente é observar a coloração da urina. Quanto mais clarinha, melhor nosso estado de hidratação.
* Alimente-se bem - Verduras, frutas e legumes podem apresentar cerca de 90% de seu peso composto por água. Por outro lado, petiscos, bolachas e bolos podem apresentar apenas 5% do líquido.
alimente-se-bemCertifique-se de que os alimentos que serão ingeridos crus foram corretamente preparados. Receitas preparadas com ovos crus, como maionese, mousses, sanduíches são alvos fáceis de contaminação.
Alimentos contaminados normalmente provocam vômitos e diarréias, gerando perigosos quadros de desidratação. As crianças são as principais vítimas.
Nos restaurantes, prefira pratos cozidos ou grelhados. Evite sugestões regadas com molhos - onde as bactérias adoram crescer.
Com a água, então, todo zelo é pouco. Até mesmo o gelo da caipirinha, da raspadinha e do suco se torna ameaçador, afinal a gente nunca sabe se aquele bar atraente e confortável à beira da praia está congelando água limpa e potável
* Atenção aos cuidados com a higiene – eles devem ser redobrados nos dias quentes, porque o calor e a umidade favorecem o crescimento de fungos e bactérias.
lavar-as-maosLembre-se de lavar bem as mãos antes das refeições (dentro e fora de casa); antes e depois de ter usado o banheiro; quando chegar da rua – esta dica vale não só nos dias quentes, mas sempre; ao andar de transporte público, pegar em jornal, dinheiro, antes de preparar comida…
* Atenção ao que veste Use roupas de cor clara e tecidos leves que permitam que a transpiração seja evaporada e não fique retida no tecido. 
* Evite a exposição direta ao sol nos dias de calor intenso. Vale disputar uma sombra, usar chapéus, bonés… qualquer coisa pra você não torrar debaixo desse sol escaldante.
* Não pratique exercícios físicos nas horas mais quentes; A temperatura alta provoca exaustão, pois há uma grande perda de água pela transpiração.
Mesmo se hidratando adequadamente, fica difícil repor o que foi gasto sem ficar com o corpo pesado.
Quanto à escolha da roupa, vale o básico antes de tudo: opte pelo que for mais confortável. Evite correr com roupas apertadas e escuras, que aumentam a temperatura do corpo e encurtam seu treino pelo cansaço
Atleta ou não é indispensável o uso do protetor solar.
Fontes de pesquisa: Dr. Drauzio Varella, Minha Vida

Arroz de forno colorido

Receita Oi, gente!
Hoje quero compartilhar com vocês uma receita que já fizemos aqui em casa e é deliciosa, além de super simples de fazer.
Arroz preparado com presunto, muzarela, ervilha e cenoura feito no forno.
Arroz_de_fornoIngredientes:
1 colher (sopa) de óleo
1 xícara (chá) de arroz lavado e escorrido
1 sachê de MAGGI® Tempero Arroz
2 xícaras (chá) de presunto em cubos pequenos (cerca de 200 g)
2 xícaras (chá) de queijo muzarela ralado (cerca de 200 g)
meia lata de ervilha em conserva escorrida
1 cenoura cozida em cubos pequenos
1 colher (sopa) de salsa picada
2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
Modo de Preparo
Em uma panela, aqueça o óleo e refogue o arroz até que ele fique brilhante. Junte duas xícaras (chá) de água fervente e o MAGGI Tempero e misture até dissolvê-lo. Cozinhe em fogo baixo, com a panela semitampada, por cerca de 15 minutos ou até a água secar. Desligue o fogo e deixe tampado por cerca de 5 minutos para que o arroz termine o cozimento em seu próprio vapor. Em um recipiente refratário, misture o presunto, o queijo muzarela, a ervilha, a cenoura, a salsa e o arroz cozido. Polvilhe com queijo parmesão ralado e leve ao forno médio (180°C), preaquecido, por cerca de 30 minutos. Sirva.
Dicas: - Se desejar, substitua a ervilha e a cenoura por uma lata de seleta de legumes escorrida (cerca de 300 g).
Sobre a receita
Rendimento: 5 porções
Categoria da Receita: Prato Principal
Tipo de Prato: Cereais e Leguminosas
Tempo de Preparo: 60 min.
Tempo Total de Preparo: 90 min.
Nível de Dificuldade: Fácil
Custo: $ - Baixo
Essa e outras delícias você pode encontrar no site da Nestlè.
Bon Appétit!
Até a próxima!

Foliculite, a raiz do problema e a solução

foliculite-a-raiz-do-problema-e-a-solucao Foliculite é um nome esquisito para um problema bem comum: o pêlo encravado!
Se você, como eu, é uma das pobres mortais que sofrem desse mal, fique calminha e vamos conversar sobre o que fazer para eliminar ou amenizar consideravelmente esse tormento nosso de todo mês… ou todo dia.

Pra começar… Por que acontece? Pêlos encravados

O pêlo encrava porque está fraco e não consegue ultrapassar a barreira superficial da pele. Ou ele sai, mas volta a entrar.
A foliculite ocorre quando as bactérias invadem o local onde o pêlo nasce e aí começa o tormento: pontos pretos, inflamações, dor, coceira e bolinhas vermelhas, com ou sem pus. Em alguns casos mais sérios só um especialista pode tratar.
Homens, mulheres… ninguém tá livre disso. 
Em geral, afligem mais as peles morenas, negras e amarelas, mas isso não impede que qualquer outra pessoa também tenha. Nas mulheres o problema é maior na virilha e pernas e nos homens, na barba. 

E as causas?
Os motivos são variados:
>> a depilação com cera é a que mais leva ao aparecimento dos pêlos encravados já que os pêlos arrancados têm mais dificuldade de voltar à superfície porque a glândula sebácea próxima ao pêlo entope. 
* Dica: Algumas mulheres que estão acostumadas a depilar o corpo com cera se beneficiam da lâmina: como ela fortalece o pêlo, pode ficar mais fácil ele romper a pele. Alterne os métodos depilatórios, entre cera e lâmina, por exemplo.
>> calças apertadas (de tecido sintético e/ou jeans) e calcinhas também agravam o problema na virilha já que deixar o local quente, húmido e machucado é criar um ambiente perfeito para as bactérias. Quando usamos roupas mais grossas, a pele não consegue transpirar da forma correta e aí as bactérias se aproveitam dos pelos encravados.
* Dica: Evite usar roupas justas e de tecidos grossos com frequência, principalmente nos dias mais quentes
>> mais uma para nós, mulheres que sofrem, a menstruação: nesse período aumenta a secreção da glândula ao lado do pêlo e encrava.
* Dica: usar roupas mais largas e arejadas e calcinhas sem elástico.
>> a lâmina usada incorretamente pode piorar o quadro principalmente no caso de virilha e barba.
* Dica: Quem usa lâmina deve sempre manter o aparelho bem limpo (o ideal seria usar os descartáveis). Depois de usar a lâmina lave bem o aparelho com um sabonete antiséptico e mantenha num lugar fechado e seco.  
foliculite queloideana da nuca>> há também os casos de pêlos que encravam quando o corte de cabelo é feito na nuca, principalmente quando o mesmo poro possui dois ou três pêlos.
É a chamada foliculite queloideana da nuca (mais essa agora!).
Normalmente, homens que apresentam este tipo de inflação, também possuem problemas com a barba e vice-versa
>> o excesso de esfoliação e cremes gordurosos ou óleo corporal também podem ser agravantes

E a solução para esse problema chatíssimo?
Além das dicas que falei acima…
>> evite tomar banhos muito quentes e demorados;
- tomar sol ou passar creme hidratante, desodorante ou outros cosméticos na área depilada nas 24 horas seguintes à depilação.
- Após a depilação, acalme o local com loções à base de camomila, azuleno ou calêndula
>> nas axilas, a recomendação é usar desodorante líquido e deixar de lado os roll-on e em creme.
>> Depilar ou barbear de preferência após o banho, quando a pele estiver bem hidratada. Utilizar a lâmina de forma bem suave, não com força e nem no sentido contrário ao crescimento do pêlo e deixá-lo rente à pele. Lavar a área depois do procedimento
>> Não caia na tentação de cutucar, espremer ou arrancar com a pinça os pêlos encravados. Isso só vai ajudar a deixar o local mais inflamado, além de deixar a pele marcada ou manchada
>> Esfoliar sempre! Como uma das causas da foliculite é o excesso de queratinização, manter a pele mais lisinha e livre das células mortas (que dificultam a saída do pêlo à superfície) é fundamental para minimizar o problema.
A esfoliação é uma grande aliada quando o assunto é prevenir os temidos pêlos encravados e deve ser feita semanalmente. Exceto quando a pele estiver irritada e nesse caso é melhor não esfoliar para não agredi-la mais.
Os esfoliantes corporais com grânulos auxiliam na remoção das células mortas, afinando a pele e, assim, facilitam a passagem do pêlo. Mas eles têm de ser usados de forma constante. 
Existem bons produtos que levam algum agente bactericida na fórmula, como o triclosan. Além de esfoliar, eles combatem possíveis inflamações, que poderiam piorar o quadro. 
A esfoliação deve fazer parte do seu dia-a-dia, já que toda vez que o pêlo cresce pode acabar encravando novamente.
Minha dica caseira para esfoliação:
Pedra pomes nas pernas
Durante o banho quente, passe a pedra pomes muito muito suavemente, com movimentos circulares. Não demore muito tempo fazendo isso, só o suficiente para alcançar toda a perna (ou nos pontos onde os pêlos encravam).
Muito cuidado, caso contrário sua pele irá machucar.
>> A depilação a laser é tida entre os especialistas como uma das melhores soluções para evitar os pêlos encravados, mas se esse método é financeiramente impossível pra você saída é manipular cremes com bons princípios ativos como: uréia, ácido salicílico, peróxido de benzoíla ou ácido retinóico.

Importantíssimo: Antes de sair lambuzando seu corpo com cremes disso ou daquilo consulte um dermatologista. Apesar de serem indicados para o problema, só o médico pode saber qual o melhor pra sua pele.
Até a próxima!
Dani

Infecção Urinária – o que é e como tratar?

Infeccao Urinaria Dor, ardência e urgência para urinar, incômodo no baixo ventre e, em alguns casos, sangue na urina. Você até pode não ter se deparado com esses sintomas, mas certamente tem uma amiga que já enfrentou uma infecção urinária.
Não resta dúvida, as mulheres são mais suscetíveis a essa doença: para cada homem, existem 20 mulheres com esse tipo de infecção.

Saiba porque
Na maioria dos casos (cerca de 95%) é provocada por uma bactéria chamada Escherichia coli, presente normalmente na flora intestinal e, consequentemente, ao redor do ânus e no períneo (área entre o ânus e a vagina).
No intestino, essa bactéria é inofensiva, mas quando ela invade as vias urinárias a coisa complica. Aí é que entra a fragilidade da anatomia feminina. A vagina fica a pouquíssimos centímetros do ânus. A uretra, canal que leva o xixi da bexiga até a vagina, é curtinha, quando comparada com a dos rapazes. A nossa mede de 3 a 4 centímetros, enquanto a deles tem mais de 10 centímetros. Com essa configuração, a bactéria que está no períneo chega mais facilmente na uretra, porta de entrada para a infecção. Da uretra para a bexiga, onde a doença começa, é um pulo!
Uma Cistite, também chamada de infecção urinária baixa, mal tratada pode evoluir para uma pielonefrite, ou infecção urinária alta, caso muito mais grave porque ataca o rim, órgão vital do corpo, causando febre e dor lombar, entre outros sintomas. Nesse caso, a internação hospitalar é necessária.

Contaminação

A cistite não é transmissível, ou seja, você não pega de outra pessoa. Como ela é provocada por uma bactéria que existe normalmente na flora intestinal, alguns fatores podem colaborar para a infecção. “Uma flora vaginal saudável, com pH ácido, ajuda a proteger a região. Se existe algum desequilíbrio nas bactérias protetoras da vagina, você fica mais suscetível à doença”, explica Fernando Almeida, professor de urologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
E sabe o que pode alterar a sua flora?
Uso de espermicidas, ejaculação do parceiro, sucos muito ácidos (como de laranja, limão e abacaxi) e diminuição de estrogênio (o que normalmente acontece na menopausa).


Tratamento
É preciso procurar um médico e realizar um exame de urina para verificar qual é a bactéria responsável pelo problema. Uma vez medicada, os sintomas, tão desagradáveis, desaparecem em cerca de dois dias. Mas é preciso continuar tomando o antibiótico de acordo com a prescrição do médico, mesmo se não tiver mais nenhum sintoma.

Cuidados
* Tomar bastante líquido reduz o risco de contaminação, pois a água “lava” o sistema urinário - “Quanto mais vezes você enche e esvazia a bexiga, menor a probabilidade de a bactéria se instalar”, diz Edilson Ogeda, ginecologista do Hospital Samaritano de São Paulo.
* Fazer xixi depois do ato sexual - “Se durante a atividade alguma bactéria do períneo se aproximou da uretra, um jato forte de urina ajuda a eliminar a invasora”, explica o ginecologista.

Recaídas
Não é porque você curou a doença que ela nunca mais vai voltar. Pela anatomia feminina, como falamos no início da reportagem, o risco de contaminação sempre existe. Das mulheres que tiveram cistite uma vez, 25% voltam a se contaminar.
Outra hipótese, mais comum, é que as vítimas constantes da cistite têm um tipo de mucosa, tanto da vagina como da uretra, que favorece a aderência da bactéria e com isso a contaminação. Aqui, a fragilidade é hereditária e, certamente, há outras pessoas na família com o mesmo problema. Se for o seu caso, vale consultar um médico que pode sugerir alguns tratamentos para evitar as repetições.
Se uma cistite incomoda bastante, várias ao ano atrapalham muito mais.

Esclarecendo dúvidas
“A doença não está relacionada com falta de higiene. Isso é um mito que precisa acabar”, diz Fernando Almeida. Porém, depois de fazer xixi, é recomendado secar a vagina de frente para trás. No sentido inverso, você pode trazer bactérias do períneo para a vagina.

Fonte: boaforma.abril.com.br
Beijão e até a próxima!
Dani 

Dicas para bordar ponto cruz

Dicas para bordar ponto cruz Gente, não sou nenhuma expert, (embora faça meus bordados e goste dos resultados finais) mas quero dar algumas dicas para que, por exemplo, você não cometa os mesmos erros que cometi antes, enquanto fazia ponto cruz.
Se você já vive entre linhas e agulhas, espero que acrescente algo no seu trabalho.
Mas se quiser começar a bordar, o melhor é aprender do jeito certo:
  • Lave sempre as mãos antes de iniciar o bordado e, às vezes, até durante, isso permitirá um trabalho limpo.
  • Use agulhas específicas para o ponto cruz.
  • Use uma boa iluminação para bordar, de preferência use luz fluorescente.
  • Procure sempre sentar-se confortavelmente para não prejudicar sua coluna. Isso vale até quando não estiver bordando.
  • Coloque uma almofada no colo para aproximar o bordado.
  • Não perca a agulha! Parece bobagem, mas uma vez perdi uma na almofada que usava e uma amiga sentou em cima! Acho que doeu. rsrs Prenda-a sempre no pano em que está bordado ou num alfineteiro.
  • Se você quiser que a linha não dobre ao puxar do ponto, passe uma esponja úmida do começo ao fim da linha.
  • Passe sempre um alinhavo no tecido que cortou, evitando desfiar.
  • Ao terminar um trabalho sempre lave, passe à ferro e engome. Ficará impecável!
  • Quando aplicar seus bordados use somente tecidos que não desbotam.
  • Bordar é uma terapia, eu falo sempre. Para fazer um trabalho bonito precisamos ter paciência e calma. Um ponto errado altera todo o bordado!
Sobre os materiais, falo em outro post, por enquanto deixo uma vídeo muito bacana da Josi Pereira, do blog Josi Pereira Bordados
No canal dela, no youtube, tem outras aulas.
Beijo e paz!