Mostrando postagens com marcador Tamis. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Tamis. Mostrar todas as postagens

Bolo de cenoura com ajuda… a melhor!

Bolo de cenouraOi, gente!
Você, mamãe, imaginava que quando tivesse uma filha vocês iriam fazer um monte de coisas divertidas juntas? Acho que todas pensam assim, né? Bem, pelo menos eu sim.
Então, da série “Coisas que vou fazer quando eu for mãe” aqui vão duas: fazer gostosuras para/por ela e ter a própria durante o processo.
Importante ter sempre em mente que esta assistente-mirim ainda não vai ser de muita ajuda… Na verdade, vai atrapalhar bastante! rsrsrs
Mas você vai ver que prefere que seja assim, com certeza!

Bem, essa receita eu já fiz e não tem segredo, o bolo é realmente delicioso.
Vale lembrar que eu nunca fui muito de cozinhar bolos, biscoitos… Sempre preferi comer! rsrs Mas estou amando procurar receitas gostosas e nutritivas e fazer.  É muito divertido e também prefiro que ela coma essas coisas aqui em casa, feitas por mim.

Vamos aos ingredientes:
3 cenouras médias
3 ovos
1 xicara de óleo
1 pitada de sal
1 xicara de açúcar
2 xicaras de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento

Preparando:
No liquidificador bata as cenouras (descascadas e cortadas em cubos), o óleo, os ovos e o sal.
Numa tigela coloque o açúcar e a farinha e misture com os ingredientes do liquidificador.  Mexa até formar uma massa uniforme, coloque o fermento e misture até aderir à massa.
Então coloque numa forma untada e polvilhada e leve ao forno médio por menos de 40 minutos. Quando começar a sentir o cheirinho gostoso (você vai sentir! rsrs) corre lá e espete o palito. Se sair limpo, está prontinho!
Espere esfriar, desenforme e saboreie.

A receita em fotos e um pequeno desastre:
bolo-cenoura Bolo de cenoura 5Bolo de cenoura 6 Bolo de cenoura 7Bolo de cenoura 8 Bolo de cenoura 9
Bem, não faço com cobertura de chocolate ainda, mas deixo uma receitinha aqui, caso você queira fazer:
Cobertura:
1 colher (sopa) de manteiga
3 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 xícara (chá) de açúcar
Misture todos os ingredientes, leve ao fogo e misture até obter uma consistência cremosa
Despeje a calda por cima do bolo

Encontrei a receita do bolo no site Vida Materna. Fiz algumas modificações, mas lá tem ainda muitas dicas nutricionais sobre ela.

Bjo e até a próxima!!
Dani

Sobre ser mãe real

Photo by Peignault Laurent on Unsplash
Olá pessoas!
Hoje eu resolvi dá minha versão sobre a maternidade real, mas aviso logo: se você está esperando mais um textão clichê sobre as dificuldades, sobre a enganação das imagens de mães felizes e blá blá blá.... Não!

E também quero deixar claro que o que tenho pra falar não considero uma verdade universal, mas é a minha, meu pensamento, minha opinião... Enfim, você pode concordar ou não, direito seu, né? rsrs

A meu ver, o problema desses textos falando da ilusão da maternidade perfeita é que tem gente que realmente idealiza isso. Todo mundo sabe - ou já leu ou já ouviu falar - do perrengue que é ser mãe. Tanto das que trabalham fora quanto as que trabalham só em casa. Ninguém nunca disse que a maternidade é um mar de rosas o tempo todo. Como tudo na vida, existem altos e baixos.

E daí se tem mãe que gosta de falar só das coisas boas, que gosta de postar só fotos dos momentos legais e felizes? Ela não tá dizendo que a vida é só isso, ela apenas prefere falar sobre o lado bom.

Minha vida não é melhor nem pior do que a de qualquer outra mãe, mas não fico me comparando a ninguém, cada uma sabe das suas dores, seus cansaços, suas frustrações. Eu comparo, sim, à vida que tinha antes de ser mãe. Se isso é legal ou não... não sei. O que sei é que quanto mais eu penso no antes, mais feliz eu percebo que sou agora. Não troco este momento por nada e viveria tudo de novo, com certeza.
Um amiga perguntou como era minha casa antes de ter filho. 
Prontamente eu respondi: tudo arrumado, no lugar, limpo, silêncio... 
E ela completou: mas passava o dia só. 
Eu olhei pra minha filha e a sala virada pelo avesso e só consegui falar: É

Por que perder tempo falando como é difícil, se posso falar como é fácil amar esta criaturinha que me completa tanto?
A vozinha quando canta pra mim, quando reclama...
Quando me chama de mãe. Ah esse momento é único.
Será que um dia vou me acostumar com essa palavra? Mãe! Me sinto tão exclusiva, tão feliz, tão preenchida... Mas depois da décima vez, em menos de meia hora(!) começo a querer arrancar os cabelos! rsrsrsrs
As mãozinhas ainda gordinhas de bebê, tão gostosas de pegar e acariciar.
Os abraços sempre aconchegantes e minha vontade de ficar ali pra sempre, mas ela não! rsrs

Enfim, minha pequena só tem 3 anos e então você, mãe de quatro ou mãe de adolescente, fala "sabe de nada, inocente!" kkkk
Eu sei, tenho muito o que aprender, mas - sem fazer promessas - espero tirar proveito da melhor parte dessa jornada maravilhosa, única, louca e cansativa que é ser mãe.
Não almejo ser uma super mãe já que isso não existe, só espero ser uma boa mãe, pra mim já tá de bom tamanho.

Um beijo e até a próxima!

Photo by Peignault Laurent on Unsplash

Anquiloglossia ou língua presa em bebês

Quando Tamis tinha dois meses, numa consulta com o pediatra falei sobre a língua dela, era presa. Toda vez que chorava dava pra ver bem uma pequena pele que unia a ponta da língua à gengiva, formava até um coração.
Logo que ela nasceu a pediatra que acompanhou o parto já tinha me alertado, mas resolvemos esperar um pouco para procurar saber mais sobre isso.

Anquiloglossia - a língua presa - acontece quando a pequena membrana que fica abaixo da língua (conhecida popularmente como “freio”) é menor do que o normal, impedindo o órgão de se movimentar livremente. Quando a membrana está anexada ou muito próxima da ponta da língua, esta pode parecer bifurcada ou em forma de coração. No entanto, membranas que estão ligadas na parte de trás da língua podem deixá-la com uma aparência normal.


Causas
As causas de língua presa não são conhecidas. Elas podem ocorrer em famílias, mas também pode acontecer de um bebê sem histórico de língua presa ter o problema. Alguns casos acontecem por conta de outras alterações na face ou boca, como uma fenda palatina.

O que a língua presa pode causar:

Algumas crianças com língua presa podem apresentar:
* Problemas para sugar o leite da mãe durante a amamentação
* Espaço entre os dentes inferiores da frente
* Problemas na fala, principalmente fonemas com as letras T, D, Z, S, N e L
* Problemas pessoais ou sociais relacionados com o movimento restrito da língua, tais como bullying.

Entre as complicações possíveis estão ainda:

* Desafios com outras atividades orais, como tomar um sorvete de casquinha, lamber os lábios ou tocar um instrumento de sopro.
* Atraso no desenvolvimento ou crescimento;
* Atraso no desenvolvimento da linguagem;
* Dificuldade para introduzir alimentos sólidos na alimentação da criança;
* Risco de engasgamento;
* Problemas nos dentes relacionados com a dificuldade para manter a higiene bucal.

O diagnóstico
Frequentemente em um exame físico.
Para crianças maiores, o médico pode usar uma ferramenta de triagem para observar a aparência da língua e habilidade de movimento.
Os especialistas que podem diagnosticar língua presa são: Clínico geral, Pediatra, Otorrinolaringologista, Dentista, Fonoaudiólogo.

Tratamento
Muitos bebês não apresentam qualquer sintoma. Isso porque a pele abaixo da língua se desenvolve conforme a criança cresce ou então ela se adapta à restrição.
Com a execução de exercícios fonoaudiólogos é possível tratar o problema.
No entanto, todos os casos de língua presa devem ser avaliados para decidir qual o melhor tratamento ou o momento para fazer a cirurgia e qual o tipo de cirurgia que melhor se adapta às necessidades do bebê.

Tipos de cirurgia
* Frenotomia
Como é feita > Cirurgia simples que pode ser feita no consultório do pediatra sem anestesia e que consiste no corte do freio da língua com uma tesoura esterilizada.
Para que serve > Ajuda a libertar a língua rapidamente e ajuda o bebê a bocanhar melhor a mama da mão, facilitando a amamentação. Por isso é feita quando a língua presa só apresenta risco de afetar a amamentação.
Idade recomendada > Pode ser feita em qualquer idade.
Tempo de recuperação > 24 horas.

* Frenuloplastia
Como é feita > Cirurgia que deve ser feita no hospital com anestesia geral e que ajuda a reconstruir o músculo da língua.
Para que serve > Permite reconstruir o músculo da língua quando não se desenvolve corretamente devido à alteração no freio e, por isso, além de facilitar a amamentação também evita problemas na fala.
Idade recomendada > Deve ser feita após os 6 meses de idade, devido a ser necessária anestesia geral.
Tempo de recuperação > 10 dias.

O pediatra nos encaminhou para um otorrino. 
Ambos falaram que não podiam afirmar que o problema fosse se resolver com o crescimento de Tamis. Podia ser que sim, ou não.
Mas foram categóricos ao dizer que quanto mais cedo resolver, seria melhor para o bebê, se essa fosse nossa opção.
Mais tarde o procedimento não seria tão simples.
Então decidimos resolver logo. Tem um caso na minha família de língua presa e o problema na fala é evidente.

Dói?
O procedimento foi a frenotomia. O médico passou um anestésico oral e com uma tesourinha fez o corte. Durou dois minutos.
Sangrou bastante. Ela chorou também, bastante. E eu chorei junto!
O alívio foi que quando chegamos no carro, já mamou normalmente, sem chorar. Durante o resto do dia ela ficou mais com a boquinha fechada, sentindo ainda, eu imagino.
Graças a Deus não teve nenhum tipo de complicação e a única coisa que ficou foi a lembrança - a minha! - do meu bebê passando por aquilo. Foi ruim demais, mas necessário, eu sempre digo pra mim mesma.

Teste da Linguinha para todos os bebês

O Projeto de Lei nº 4.832/12 de autoria do Deputado Federal Onofre Santo Agostini, “obriga a realização do protocolo de avaliação do frênulo da língua em bebês, em todos os hospitais e maternidades do Brasil”, foi sancionado pela Presidência da República e se converteu na Lei nº 13.002, de 20 de junho de 2014.

Minha filha nasceu antes da lei (em março) e a pediatra, como já falei, identificou e me alertou sobre o problema.
Acho que tenho obrigação de falar que um bom profissional não precisa de lei pra fazer seu trabalho.


Fontes de pesquisa: Minha Vida, Tua Saúde, Saúde/Terra
Imagem: wallpapers Inbox

Espero que tenha ajudado.
Bjo e até a próxima!
Dani

Primeiro dia de aula do seu filho: como sobreviver!

 Photo by Aaron Burden on Unsplash
Oi, gente!
Se você está passando por esse momento marcante na vida (sua e principalmente do seu filho!) e está com o coração na mão, toca aqui 👏 que estamos no mesmo barco!
Pois é, seu filhote está crescendo e isso é maravilhoso, mas um pouco apavorante também... Você vai ter que se adaptar a essa nova fase (primeira de muuitas!) e seguir em frente, mesmo que isso esteja te matando por dentro.
Exagero? Talvez sim, mas talvez não mesmo! Só uma mãe sabe como é difícil cortar esse cordão umbilical imaginário que ainda faziam de vocês um só.
Mas fazer o que? A vida é assim, tem que ser vivida! Você já passou por isso e agora é a vez do seu filho. Ele merece e ele precisa, é a ordem natural das coisas.
Você precisa se conscientizar de que o teu papel de mãe (ou pai) começa realmente agora. Como quer que o seu filho passe por tudo o que vem à frente?
Apesar de serem apenas poucas horas de distância entre vocês é um passo gigantesco para o desenvolvimento dele. O contato com outras pessoas, novas amizades, novas situações que talvez ele não esteja acostumado, novas atividades...
Pense nele como uma esponjinha, absorvendo tudo, desde o conhecimento até emoções diferentes. E ele volta pra você, cheio de questões, cheio de palavras, entusiasmo... O jeito que você lida com tudo fará diferença nesta nova vida fora do ninho que está apenas começando...

Dicas de como encarar esse primeiro passinho de seu bebê

Fique calma! - Controle a tensão e ansiedade... Seu filho vai sentir essa energia e ele não vai saber lidar com isso, só vai o dificultar o processo de adaptação na escola.

Converse! - explique o que acontece na escola: ele vai aprender, vai ter muitos amiguinhos, vai brincar... Veja a reação dele ao saber disso.
Ele pode ficar feliz, pode querer que você vá com ele ou já comece a chorar por perceber que você não vai estar com ele. É de arrebentar, né? Eu sei, eu imagino...
Não force, não fale muito se sentir que as informações ainda não são bem aceitas. Tudo ao seu tempo.

Pergunte na escola qual é o procedimento quando as crianças estão chorando por seus pais. Isso serve pra você sentir segurança ao deixá-lo.

Dizer tchau nesse primeiro dia com certeza será o momento mais difícil para vocês dois. Portanto, depois disso, saia prontamente. Uma longa cena de despedida pode reforçar o sentido de que a escola é um lugar ruim.

Quando for a hora de ir, despeça-se do seu filho. Nunca saia escondido. Por mais tentador que seja, sair sem dizer adeus pode fazer com que ele deixe de confiar em você.

Expresse sua facilidade com a saída. Alguns pais acenam de fora da janela da sala de aula ou fazem uma cara de adeus engraçada.

Não demore. Quanto mais tempo você ficar, mais difícil será. Deixe seu filho saber que você estará lá para buscá-la e diga um "Até mais tarde!"

Não se sinta culpado por deixá-lo - Eu sei que a vontade de trazer seu filho de volta pra casa pode ser imensa, mas as coisas tem que ser assim. Saiba que todo mundo passa por isso. O começo pode ser ruim ou péssimo, mas ele vai se acostumar com a nova rotina. Você vai!

Minha experiencia foi assim...

Um dia antes ela chorou um pouco, ficou manhosa... Meu marido e eu percebemos que ela tava sentindo a agitação, até porque ela estava junto em todos os momentos que fomos na escola.
Fazia um tempo que já ela dizia que queria ir pra escola, vi então que a necessidade estava explodindo.
Ela acordou dizendo que ia sentir saudades de mim... eu que já estava um troço por dentro, tive que fingir naturalidade, abrir um sorriso e dizer: "A mamãe também vai sentir saudades, mas vai ser tão legal lá! Você vai ter amiguinhos, vai brincar muito, aprender um monte de coisas. E depois vou buscar você!"

Quando fomos levá-la, ela continuava dizendo que ia sentir saudades e a gente reforçando como ia ser legal e tudo... e que depois pegaríamos ela de volta.
Chegamos, nos despedimos rápido e a tia com naturalidade já pegou ela pela mão dela e levou...
E eu desabei ali mesmo! Parecia que estavam levando meu coração embora!!
Só conseguia pensar que agora o passo estava dado e que não dava mais pra voltar atras.
Pela câmera, vi quando deixaram na sala. Ela quis sair, mas a tia carregou e minha pequena encostou a cabeça no colo da moça.
Aí eu vim... chorando mais ainda. Cheguei em casa e o silêncio era perturbador.
Felizmente tinha trabalho pra fazer e a mente ficou um pouco ocupada. Um pouco.
Como era adaptação, ela só ficou uma hora e meia na escola e então chegou a hora de buscá-la.
Aí, minha gente, eis que quando ela me viu e percebeu que era hora de ir pra casa, o escândalo começou: gritou, chorou, se debateu... dizendo que não queria ir embora! 😖
E foi assim, durante uma semana, um show na porta da escola. Até que começou a se acalmar e hoje já tira de letra, graças a Deus!
Então, às vezes coisas surpreendentes acontecem. E todas as preocupações e cuidados que naturalmente temos pelos pequenos, na verdade devem ser direcionadas para os pais! rsrsrsrs

Espero que tenha ajudado você de alguma maneira.
Um beijo e até a próxima!!

Fonte de pesquisa: Parents 

Photo by Aaron Burden on Unsplash

Ideias para o quarto da Tamis

Decor-Ideias-Quarto-Tamis-Olá, pessoas lindas!
A partir de hoje, vou dividir com vocês ideias inspiradoras para montar um quarto lindo para a minha (e a sua!) filhota.
Não vou apenas mostrar imagens de quartos maravilhosos e deslumbrantes, mas também focar em cada detalhe da decoração: desde cores ideais, tapetes, móveis, almofadas, luminárias, cantinhos especiais, adesivos de parede, quadros, prateleiras…
Em cada postagem falarei sobre um item e de preferência que eu possa mostrar também o passo a passo (adoooro!). Quer coisa mais bacana do que criar algo pra decorar o quarto da sua filha? Isso não tem preço! Red heart

Mas como é o quarto perfeito?
Pra mim - e tenho pensado muito sobre isso - ele tem que ter estilo, praticidade, conforto, charme, cor e também fugir do tradicional! (Leia-se: Cor não quer dizer “coloridão”, espalhafatoso, e “fugir do tradicional” com certeza é dizer não à cor rosa!)
Não tenho nada contra a cor rosa, pelo contrário, depois que a Tamis nasceu aderi a essa cor de bom grado, mas antes da gravidez, minha cor feminina era o lilás.
Além do essencial (móveis), o quarto perfeito tem quadros fofinhos, almofadas lindas, tapete macio, lugar para os brinquedos, cantinho da leitura e estante para livros…
O quarto ideal que gostaria de fazer para minha filha é o que eu não tive quando era criança e apesar disso e o fato de ficar falando MEU quarto, tenho plena consciência de que ele não tem que satisfazer às minhas vontades de mãe, mas às dela.

Então, por hora, deixo algumas imagens de quartos lindos…
quarto-menina

quarto-menina-Montessoriano

quarto 3

quarto 4
Via 

 quarto-menina-3  quarto-menina-2
quarto-menina1  quarto-menina-4
 Via
Lindos, né? Nossa, foi difícil escolher …
Então ficamos assim:
Até o próximo post!
Bjo!
Dani

Sobre ser mãe - parte 1

sobre-ser-maeOi, gente!
Então, quase 3 meses depois que falei a vocês que minha licença maternidade tinha acabado e eu estava de volta… novamente venho dizer que não está fácil! rsrsrsrs
Sim, eu sei, ninguém falou que ser mãe é fácil, não é? Só dizem que vale à pena… Quanto a isso não tenho nenhuma dúvida, pelo contrário: vale muito, vale tudo.
Sim, ser mãe é uma dádiva… O problema são as outras funções: dona de casa, esposa, blogueira… Notaram que nem falei dos meus trabalhos artesanais, que não faço desde o início da gravidez?
Pois é, preciso mudar isso com urgência. Minha filha não veio pra dividir minha vida, veio pra acrescentar, completar, tornar maravilhoso o que já era ótimo.

Sobre ser mãe!
Sabem, uma gravidez é muito pouco tempo de preparação para o que acontece a seguir. Quando teu bebê te olha nos olhos a ligação que vocês já tinham durante todos aqueles meses consolida-se de tal forma que você fica sem ar, complemente entregue.
Naquele instante em que minha fadinha parou de chorar, abriu os olhos e me encarou… acho que foram os 5 segundos (creio) mais longos pelos quais já passei! Minha vida inteira se resumiu àquele momento. O que eu conhecia de mim e da vida tinha ficado pra trás. Eu não era mais apenas filha… definitivamente eu havia me tornado mãe!
E quando você pensa que ser mãe já é uma dádiva… chega a hora de amamentar seu bebê! Então vocês se tornam um só.
amamentar
No meio da mamada, ela para e me olha diretamente nos olhos.
Costumo dizer que fui laçada, não tenho como sair – e nem quero!
Aqueles olhinhos dizem tanto, enxergam tudo, minha alma é um livro aberto.
Então ela sorri. Um sorriso banguela de um canto só da boca, o suficiente pra eu ver a covinha. Depois o sorriso se abre na boca toda e eu fico aprisionada.
Às vezes junto com o sorriso os olhinhos enchem d’água. Não é choro, parece emoção.
É como se ela entendesse aquele momento, compreendesse, aceitasse e retribuísse o meu amor… e eu me sinto tão amada! Como resistir? Como não se emocionar?
Aí ela fecha os olhos e continua mamando!
E tem as madrugadas! ninar
Então eu comecei a entender aquela frase “Ser mãe é padecer no paraíso”
Dormir uma noite inteira? Isso não me pertence mais, minha amiga! rsrsrsrs
Pra falar a verdade, “dormir” é uma palavra muito forte, substitua por “cochilar”.  E mesmo quando você não é acordada pelo choro ou resmungos, o instinto te desperta pra ver se tá tudo em ordem.
Por várias vezes, meu cansaço é tanto que sinto que vou entregar os pontos (desabar, dormir em pé, chorar…), mas aí ela sorri e isso me recarrega.
Pronto, posso ficar até de manhã – como já aconteceu várias vezes! rsrsrs
Todos os dias acontece algo novo: uma expressão, um gesto, um sorriso, uma gracinha, uma sílaba… O desenvolvimento acontece a olhos vistos, chega a ser impressionante! Olha a mãe coruja falando! rsrsrsrs Mas é a mais pura verdade, gente! E como não poderia ser diferente, tudo é um motivo para nós (o maridão e eu) ficarmos mais e mais apaixonados.
Cada minuto é único, emocionante e tenho aproveitado todos os momentos da melhor forma possível.
Tamires está fazendo 6 meses hoje!
Minha pequena está enorme, gorduchinha, lindinha, risonha, com saúde… Um milagre que agradeço a Deus todos os dias por ter sido escolhida pra ser mãe dela.

Fico feliz em compartilhar esse momento com vocês… é muito amor envolvido! rsrs
Até a próxima!

Fim da minha licença-maternidade

dastore-licenca-maternidade5Oi, gente!
Pois é, me dei férias merecidas e necessárias, cá entre nós.
Na última postagem, vocês viram que eu estava com um pé na maternidade, só esperando o momento de acontecer a coisa mais incrível pela qual uma mulher pode passar… lembram?
Pois bem, esse momento aconteceu dia 5 de março!
E a partir desse dia, minha vida se transformou completamente. (Falarei sobre esse novo momento mais à frente, prometo.)
Então, como mãe de primeira viagem, precisei desesperadamente de um tempo pra poder me adaptar à nova vida e rotina.
Agora que minha pequena completou 3 meses – parece que foi ontem! – achei que era hora de voltar.
No entanto as coisas serão bem diferentes agora, vocês devem imaginar. Então eu conto com a compreensão de todos.

Estou chegando…  Devagar, devagarinho!

Feliz por estar de volta!
Bjinhos,
Dani