Mostrando postagens com marcador Solidariedade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Solidariedade. Mostrar todas as postagens

Doação de Sangue

Doação de Sangue Você deve ter visto (jornais, internet…) que houve mudanças quanto ao ato de doar sangue, mas você sabe exatamente quais são esses novos critérios?
Eu falo pra você!
De acordo com a  Portaria 1.353 publicada no Diário Oficial da União no dia 14/06:
* A nova legislação estabelece diretrizes voltadas ao aumento da segurança para quem doa e recebe sangue no país 

* Jovens entre 16 e 17 anos (mediante autorização dos pais ou responsáveis) e idosos com até 68 anos também poderão doar sangue no Brasil. Pela norma anterior, a doação era autorizada para pessoas com idade entre 18 e 65 anos de idade.
Com a ampliação da faixa etária para doação, a expectativa do governo federal é ampliar o volume de sangue coletado no Brasil que, atualmente, chega a 3,5 milhões de bolsas por ano. Esta quantidade é considerada suficiente; porém, o esforço do Ministério da Saúde é atingir os padrões recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS): cerca de 5,7 milhões de bolsas de sangue por ano. Para o próximo ano, a meta é que o país registre, anualmente, quatro milhões de bolsas.

* A Portaria determina, ainda, que a orientação sexual (heterossexualidade, bissexualidade, homossexualidade) não deve ser usada como critério para a seleção de doadores de sangue, por não constituir risco em si própria. Ou seja, não deverá haver, no processo de triagem e coleta de sangue, manifestação de preconceito e discriminação por orientação sexual e identidade de gênero, hábitos de vida, atividade profissional, condição socioeconômica, raça, cor e etnia.
* Foram estabelecidas medidas voltadas à humanização nos serviços de  hemoterapia a partir da capacitação de profissionais da Rede Brasileira de Hemocentros (Hemorrede). “O objetivo é melhorar a atenção e o acolhimento dos candidatos à doação”, explica o coordenador de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, Guilherme Genovez.
Novamente, pra não esquecer:
Quem pode doar sangue
Candidatos com:
- Aspecto saudável e declaração de bem-estar geral;
- Idade entre 18 anos completos e 67 anos, 11 meses e 29 dias. Podem ser aceitos candidatos à doação de sangue com idade de 16 e 17 anos, com o consentimento formal do responsável legal. E, em caso de necessidades tecnicamente justificáveis, o candidato cuja idade seja inferior a 16 anos ou superior a 68 anos somente poderá ser aceito após análise pelo médico do serviço de hemoterapia.
- Peso mínimo de 50 kg. Candidatos com peso abaixo de 50 Kg podem ser aceitos após avaliação médica e desde que respeitados critérios específicos estabelecimentos na Portaria 1.353/11.Doacao Sangue
Informações mais detalhadas aqui.
As informações são do Ministério de Saúde
Até a próxima!

Seja um Papai Noel neste Natal

Gorro do Papai Noel Dia 5 de novembro foi o lançamento nacional da campanha Papai Noel dos Correios. Você já ouviu falar? Sabe como funciona? Sabia que um simples gesto seu pode transformar o natal de uma criança cuja família não teria como fazê-lo?
Essa campanha, que é realizada há mais de 20 anos pelos Correios, tem como principal objetivo responder às cartinhas das crianças que escrevem ao Papai Noel e, sempre que possível, atender aos pedidos de presentes.
Você pode ser um Padrinho ou Ajudante
Os ajudantes do Papai Noel são as pessoas interessadas em apoiar na leitura das cartas. Ler, cadastrar informações e separar são as principais atividades desenvolvidas nesta etapa.
Como participar:
* Entre em contato com a Diretoria Regional dos Correios do seu Estado;
* Faça uma visita e conheça o trabalho;
* Estabeleça um tempo fixo para ajudar na leitura das cartas. Não precisa ser muito tempo, mas freqüência é fundamental.
Os padrinhos são aqueles que “adotam” uma cartinha, providenciando o presente solicitado pela criança.
Como participar:
* Entre em contato com Diretoria Regional dos Correios do seu Estado; 
* Escolha as cartas que irá apadrinhar;
* Entregue os presentes no local e na data estabelecidos pela Diretoria Regional dos Correios de seu Estado.
O período de recebimento e adoção de cartas, envio de resposta às crianças e entrega dos presentes é definido pela Diretoria Regional de cada um dos Estados, porém deverá estar compreendido no período indicado abaixo:
  • Recebimento e adoção de cartas, envio de resposta às crianças e entrega dos presentes pelos Correios: 04/10/2010 a 17/12/2010
  • Encerramento nacional da campanha: 20/12/2010
Para maiores informações, entre em contato com a Diretoria Regional do Seu Estado.
Fonte: correios.com.br
Legal, né?
Vamos todos participar?
Beijo e paz!

Você quer salvar uma vida?

Você quer salvar uma vida No último domingo, no Fantástico, passou uma entrevista com uma atriz que eu gosto muito: Drica Moraes. Ela comemora a boa recuperação e fala dos momentos difíceis que enfrentou durante os 120 dias de internação por causa de uma doença que 1,2 mil pacientes ainda estão em busca de um doador: A LEUCEMIA.
Já sou doadora de sangue e sempre tive vontade - e medo - de ser doadora de medula óssea, e sempre deixei que esse medo me impedisse de ver como tudo realmente acontece. Até agora…

Pra começar, vamos saber o que é a medula óssea:
É um tecido líquido-gelatinoso que ocupa o interior dos ossos, sendo conhecida popularmente por 'tutano'. 
É lá que são produzidos os componentes do sangue:
* as hemácias (glóbulos vermelhos) - transportam o oxigênio dos pulmões para as células de todo o nosso organismo e o gás carbônico das células para os pulmões, a fim de ser expirado.
* os leucócitos (glóbulos brancos) - são os agentes mais importantes do sistema de defesa do nosso organismo e nos defendem das infecções.
* e as plaquetas. - compõem o sistema de coagulação do sangue.

A leucemia
É uma doença maligna que compromete os glóbulos brancos (leucócitos), afetando sua função e velocidade de crescimento.
As causas da leucemia ainda não estão definidas, mas, suspeita-se da associação entre determinados fatores com o risco aumentado de desenvolver alguns tipos: Tabagismo, Radiação, Síndrome de Down e outras doenças hereditárias, Benzeno (encontrado na fumaça do cigarro, gasolina e largamente usado na indústria química), Quimioterapia (algumas classes de drogas), Síndrome mielodisplásica e outras desordens sanguíneas.

O transplante de medula óssea (TMO)
Consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais de medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável.
O transplante pode ser autogênico, quando a medula vem do próprio paciente. Ou alogênico, quando a medula vem de um doador.
O transplante também pode ser feito a partir de células precursoras de medula óssea, obtidas do sangue circulante de um doador ou do sangue de cordão umbilical. 
Além da leucemia, o TMO é indicado para pacientes com linfomas, anemias graves, imunodeficiências e outras 70 doenças relacionadas ao sistema sanguíneo e imunológico.

Os riscos para o doador
Os riscos são poucos e relacionados a um procedimento que necessita de anestesia. A doação é feita em centro cirúrgico e tem duração de aproximadamente duas horas. Retira-se um volume de medula do doador de, no máximo, 15%. Esta retirada não causa qualquer comprometimento à saúde. Dentro de poucas semanas, a medula óssea do doador estará inteiramente recuperada.
Antes da doação, o doador faz um rigoroso exame clínico incluindo exames complementares para confirmar o seu bom estado de saúde. Essa avaliação pré-operatória detalhada verifica as condições clínicas e cardiovasculares do doador visando a orientar a equipe anestésica envolvida no procedimento operatório.
Não há exigência quanto à mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação.  São realizadas múltiplas punções, com agulhas, nos ossos posteriores da bacia e é aspirada a medula.

Para se tornar um doador
• Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante) poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias.
• É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos Hemocentros nos estados.
• Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.
• Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado, o REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), instalado no Instituto Nacional de Câncer (INCA), que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante.
• Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.
• Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de UMA EM CEM MIL!
• Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.
• A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.
• É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato. Para atualizar o cadastro, basta que o doador ligue para (21) 3970-4100 ou envie um e-mail para redome@inca.gov.br.

Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro.
Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.

Fonte: INCA (Instituto Nacional de Câncer)

Doe Sangue

Doe Sangue Hoje é o Dia Nacional do Doador de Sangue. 
Com o lema “Doe sangue, faça alguém nascer de novo”, o Ministério da Saúde lança uma nova campanha de incentivo à doação de sangue. 
Se quiser doar, vá ao ao hemocentro mais próximo. É seguro e não dói. 
Doar sangue é um gesto de amor ao próximo e à vida. É uma oportunidade de ajudar sem interesse. É uma demonstração de solidariedade, de evolução espiritual. É um ato de fé e bondade. Todos nós podemos precisar de uma transfusão de sangue e necessitar da doação de alguém. A necessidade de sangue pode surgir em qualquer família, a qualquer momento. O sangue humano é insubstituível, e somente pode ser obtido através de doação de um ser humano a outro. A necessidade nos torna iguais. Doe para receber.

O que é preciso para doar
Ter e estar com boa saúde. Não ter ou não ter tido hepatite, doença de Chagas, sífilis, malária e AIDS. Ter idade entre 18 e 60 anos. Pesar acima de 50kg. Não estar exposto a situações de risco (vários parceiros sexuais, usar drogas, ter parceiro sexual portador do vírus da AIDS). Apresentar documento de identidade oficial. Não estar gripado ou resfriado. Não estar grávida ou amamentando.

Gotas sangueÉ preciso saber:
Não existe substituto para o sangue. Seu sangue jamais será vendido. Quem doa sangue uma vez não é obrigado e nem tem necessidade de doar sempre. Um doador pode doar sangue até quatro vezes por ano. Doar sangue não engorda, não emagrece, não afina nem engrossa o sangue, não vicia e faz bem para a consciência. O doador tem o direito de receber um atestado médico e a carteirinha de doador.

Preparação para doação
Dormir bem a noite anterior à doação. Não ingerir bebida alcoólica 12 horas antes da doação. Não estar em jejum. Pela manhã você pode tomar café normalmente. Após almoço ou jantar, aguarde 3 horas.

Como é a doação
A coleta é feita com material descartável. A doação de sangue não dói. Não há riscos de adquirir doenças. Após doar sangue, o doador volta às atividades normais. Ao doar sangue, você vai ser orientado e acompanhado por experientes profissionais de saúde.

É seguro doar sangue
Antes da doação, o candidato será avaliado e somente doará se estiver em condições. A quantidade de sangue doada é de aproximadamente 450 ml. O sangue doado passa por exames laboratoriais. Todo material usado é descartável. Todo sangue retirado é reposto pelo organismo. A coleta é realizada em ambiente limpo, confortável e acolhedor.

Último lembrete
Quando for doar sangue lembre-se de responder corretamente às perguntas durante a entrevista. O sangue seguro começa com as informações.

Você sabe quem é Ryan Hreljac?

Você sabe quem é Ryan Hreljac?
Photo Flipbook Slideshow Maker
O poço de Ryan
Ele só tinha seis anos quando a professora da primeira série falou do triste destino de crianças que viviam na África empobrecida e devastada por doenças.

Ryan estremeceu ao saber que centenas de milhares de crianças africanas morrem todos os anos por beberem água contaminada.

A sua escola estava angariando fundos para a África e ele soube que setenta dólares custeariam um poço.

Ao chegar em casa, pediu à mãe o dinheiro e disse porque precisava. A mãe sugeriu que ele fizesse tarefas extras para conseguir a quantia.

Pegou uma folha de papel e desenhou um diagrama contendo trinta e cinco linhas. Para cada dois dólares recebidos, Ryan preenchia uma linha e guardava o dinheiro numa lata vazia de biscoitos.

Começou aspirando o pó da sala, depois lavou as janelas. Seu avô lhe pagou dez dólares, cada saco de lixo que enchesse com as pinhas que caíam no quintal.

Num certo dia de abril de 1998, Ryan entregou a uma organização internacional a sua lata de biscoitos contendo setenta dólares.

A senhora diretora que o atendeu, agradeceu mas explicou que uma bomba manual custava setenta dólares, mas para perfurar um poço eram necessários quase dois mil dólares.

"Então vou trabalhar mais", disse o menino. Os pais se envolveram e desencadearam uma campanha de doações.

Aos sete anos, Ryan conseguira juntar um pouco mais de setecentos dólares e a quantia que faltava foi completada pela agência de desenvolvimento internacional canadense.

Ryan e seus pais foram convidados para uma reunião com o representante de Uganda na "associação médicos canadenses para auxílio e assistência", grupo que recolhia os fundos angariados e, com a ajuda dos habitantes das aldeias, construía e mantinha os poços.

Ryan foi abraçado pelo representante Shibru que confirmou ao menino que o poço poderia ser feito perto de uma escola, em um vilarejo ao norte de Uganda.

Mas falou que eram necessárias vinte pessoas trabalhando dez dias para construir um poço com um escavador manual. Uma perfuradora pequena custava vinte e cinco mil dólares.

Disposto a conseguir o dinheiro, o menino teve sua história publicada em um jornal canadense e em dois meses, tinha inspirado sete mil dólares em doações.

Já cursando a segunda série, Ryan e seus colegas de classe passaram a se corresponder com os meninos do vilarejo que seria beneficiado com o poço.

Enquanto isso, Ryan passava horas escrevendo cartas pedindo dinheiro a várias organizações. Finalmente, conseguiu a quantia devida para a compra do equipamento.

Em 27 de julho de 2000 um caminhão transportando Shibru, Ryan e seus pais, desceu a estrada de terra que levava ao pequeno vilarejo.

Cerca de 3 mil crianças aguardavam na beira da estrada, batendo palmas. Os líderes da aldeia receberam Ryan e o levaram até o poço, ao lado da horta da escola. Na base de concreto estava escrito:

Poço de Ryan. Construído por Ryan Hreljac. Para a comunidade da escola elementar.

Naquela noite, na cama, Ryan disse para sua mãe: "estou muito feliz."
Terminou aquele dia inesquecível com a oração que fazia todas as noites: "desejo que todos na África tenham água limpa."

Pense nisso!
A fraternidade não conhece fronteiras e o amor desconhece limites.

Aprendamos com Ryan a pensar grande, a ir além. Quem poderia imaginar que um menino de seis anos poderia fazer tanto?

Permitamo-nos o contágio do bem, com essa vontade de auxiliar, com esse sentimento de se importar com o outro, mesmo que lhe desconheçamos o nome. Mesmo que só o que ele necessite seja de um copo de água limpa e fresca, para se manter vivo.

Quebrando o Silêncio: o DAS apóia essa causa!



Falar da violência no Brasil (no mundo) tornou-se tão fácil quanto falar de paz. Isso porque ela já faz parte do nosso dia-a-dia, infelizmente!
Você lê jornais, assisti a noticiários, ouve pelos lugares por onde anda e o assunto é um dos mais falados: violência! violência! violência!
Contra idosos (uma covardia), contra crianças (nojento), contra mulheres (no mínimo lamentável!)...
Onde estão os direitos que todos temos?
Direito à vida, ao bem-estar, ao futuro... Crescer, viver e envelhecer com dignidade, respeito, amor e saúde?
É triste, mas não é o fim. Não é algo que não possa ser modificado!

Você pode lamentar que esse tipo de coisa aconteça, mas lamentar todos fazem e isso não muda o quadro, não reduz os números.

Então, faça a diferença, faça o que estiver ao seu alcance, incentive para que aja a mudança!

Participe! Divulgue! Abrace essa causa!
Mais informações, clicando na imagem!

Beijo e paz!
DAS

Colabore com o Maranhão

maranhao seja solidario POSTOS DE ARRECADAÇÃO EM SÃO LUIS:

Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Cidadania-SEDIHC
(Avenida Getúlio Vargas, nº. 2158 Monte Castelo)

Ordem dos Advogados do Brasil-OAB/MA
(Rua Dr. Pedro Emanoel de Oliveira nº. 01, Calhau).

Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Maranhão-CREA
(Rua 28 de Julho S/N, Centro)

Jornal O IMPARCIAL
(Rua Assis Chateaubriand, S/N, Renascença- ao lado do Tropical Shopping)