Anquiloglossia ou língua presa em bebês

Quando Tamis tinha dois meses, numa consulta com o pediatra falei sobre a língua dela, era presa. Toda vez que chorava dava pra ver bem uma pequena pele que unia a ponta da língua à gengiva, formava até um coração.
Logo que ela nasceu a pediatra que acompanhou o parto já tinha me alertado, mas resolvemos esperar um pouco para procurar saber mais sobre isso.

Anquiloglossia - a língua presa - acontece quando a pequena membrana que fica abaixo da língua (conhecida popularmente como “freio”) é menor do que o normal, impedindo o órgão de se movimentar livremente. Quando a membrana está anexada ou muito próxima da ponta da língua, esta pode parecer bifurcada ou em forma de coração. No entanto, membranas que estão ligadas na parte de trás da língua podem deixá-la com uma aparência normal.


Causas
As causas de língua presa não são conhecidas. Elas podem ocorrer em famílias, mas também pode acontecer de um bebê sem histórico de língua presa ter o problema. Alguns casos acontecem por conta de outras alterações na face ou boca, como uma fenda palatina.

O que a língua presa pode causar:

Algumas crianças com língua presa podem apresentar:
* Problemas para sugar o leite da mãe durante a amamentação
* Espaço entre os dentes inferiores da frente
* Problemas na fala, principalmente fonemas com as letras T, D, Z, S, N e L
* Problemas pessoais ou sociais relacionados com o movimento restrito da língua, tais como bullying.

Entre as complicações possíveis estão ainda:

* Desafios com outras atividades orais, como tomar um sorvete de casquinha, lamber os lábios ou tocar um instrumento de sopro.
* Atraso no desenvolvimento ou crescimento;
* Atraso no desenvolvimento da linguagem;
* Dificuldade para introduzir alimentos sólidos na alimentação da criança;
* Risco de engasgamento;
* Problemas nos dentes relacionados com a dificuldade para manter a higiene bucal.

O diagnóstico
Frequentemente em um exame físico.
Para crianças maiores, o médico pode usar uma ferramenta de triagem para observar a aparência da língua e habilidade de movimento.
Os especialistas que podem diagnosticar língua presa são: Clínico geral, Pediatra, Otorrinolaringologista, Dentista, Fonoaudiólogo.

Tratamento
Muitos bebês não apresentam qualquer sintoma. Isso porque a pele abaixo da língua se desenvolve conforme a criança cresce ou então ela se adapta à restrição.
Com a execução de exercícios fonoaudiólogos é possível tratar o problema.
No entanto, todos os casos de língua presa devem ser avaliados para decidir qual o melhor tratamento ou o momento para fazer a cirurgia e qual o tipo de cirurgia que melhor se adapta às necessidades do bebê.

Tipos de cirurgia
* Frenotomia
Como é feita > Cirurgia simples que pode ser feita no consultório do pediatra sem anestesia e que consiste no corte do freio da língua com uma tesoura esterilizada.
Para que serve > Ajuda a libertar a língua rapidamente e ajuda o bebê a bocanhar melhor a mama da mão, facilitando a amamentação. Por isso é feita quando a língua presa só apresenta risco de afetar a amamentação.
Idade recomendada > Pode ser feita em qualquer idade.
Tempo de recuperação > 24 horas.

* Frenuloplastia
Como é feita > Cirurgia que deve ser feita no hospital com anestesia geral e que ajuda a reconstruir o músculo da língua.
Para que serve > Permite reconstruir o músculo da língua quando não se desenvolve corretamente devido à alteração no freio e, por isso, além de facilitar a amamentação também evita problemas na fala.
Idade recomendada > Deve ser feita após os 6 meses de idade, devido a ser necessária anestesia geral.
Tempo de recuperação > 10 dias.

O pediatra nos encaminhou para um otorrino. 
Ambos falaram que não podiam afirmar que o problema fosse se resolver com o crescimento de Tamis. Podia ser que sim, ou não.
Mas foram categóricos ao dizer que quanto mais cedo resolver, seria melhor para o bebê, se essa fosse nossa opção.
Mais tarde o procedimento não seria tão simples.
Então decidimos resolver logo. Tem um caso na minha família de língua presa e o problema na fala é evidente.

Dói?
O procedimento foi a frenotomia. O médico passou um anestésico oral e com uma tesourinha fez o corte. Durou dois minutos.
Sangrou bastante. Ela chorou também, bastante. E eu chorei junto!
O alívio foi que quando chegamos no carro, já mamou normalmente, sem chorar. Durante o resto do dia ela ficou mais com a boquinha fechada, sentindo ainda, eu imagino.
Graças a Deus não teve nenhum tipo de complicação e a única coisa que ficou foi a lembrança - a minha! - do meu bebê passando por aquilo. Foi ruim demais, mas necessário, eu sempre digo pra mim mesma.

Teste da Linguinha para todos os bebês

O Projeto de Lei nº 4.832/12 de autoria do Deputado Federal Onofre Santo Agostini, “obriga a realização do protocolo de avaliação do frênulo da língua em bebês, em todos os hospitais e maternidades do Brasil”, foi sancionado pela Presidência da República e se converteu na Lei nº 13.002, de 20 de junho de 2014.

Minha filha nasceu antes da lei (em março) e a pediatra, como já falei, identificou e me alertou sobre o problema.
Acho que tenho obrigação de falar que um bom profissional não precisa de lei pra fazer seu trabalho.


Fontes de pesquisa: Minha Vida, Tua Saúde, Saúde/Terra
Imagem: wallpapers Inbox

Espero que tenha ajudado.
Bjo e até a próxima!
Dani

Compartilhe

Acho que você vai gostar

Este espaço é todo seu!
Deixe suas sugestões, dicas, críticas... Elas irão me ajudar a melhorar!
Por favor, não xingue ou envie links de propaganda ou site, eles não serão publicados!!!!!
Obrigada e volte sempre!!
Beijo e paz! \o/
Das Emoticon Emoticon