Dia Nacional da Mulher

Dia Nacional da Mulher Nada mais contraditório do que ser mulher...
Mulher que pensa com o coração, age pela emoção e vence pelo amor.
Que vive milhões de emoções num só dia e transmite cada uma delas, num único olhar.
Que cobra de si a perfeição e vive arrumando desculpas para os erros daqueles a quem ama.
Que hospeda no ventre outras almas, dá a luz e depois fica cega, diante da beleza dos filhos que gerou.
Que dá as asas, ensina a voar mas não quer ver partir os pássaros, mesmo sabendo que eles não lhe pertencem.
Que se enfeita toda e perfuma o leito, ainda que seu amor nem perceba mais tais detalhes.
Que como uma feiticeira transforma em luz e sorriso as dores que sente na alma, só pra ninguém notar.
E ainda tem que ser forte, pra dar os ombros para quem neles precise chorar.
Feliz do homem que por um dia souber entender a Alma da Mulher!

História do Dia Nacional da Mulher

Jerônima Mesquita É comemorado aos 30 de abril, data de nascimento de uma extraordinária mulher, grande filantropa brasileira: Sra. Jerônima Mesquita.
Ela foi uma das ilustres brasileiras que viveram no início do século 20.
Nascida em Leopoldina (MG), foi, ainda moça, concluir seus estudos na Europa. Quando voltou ao Brasil, após observar outro tipo de vida, não se conformou com a situação preconceituosa imposta às mulheres de sua terra natal.

Dotada de inteligência, perspicácia e muito diligente, Jerônima se uniu a um grupo de mulheres combativas e fundou o Conselho Nacional das Mulheres.
Se hoje as mulheres têm direito a voto, devem-no a ela, que foi sufragista (movimento social, político e econômico de reforma, com o objetivo de estender o direito de votar às mulheres) e lutou para que, em 1932, todas as mulheres, acima de 18 anos, pudessem votar.

Engajou-se em frentes de assistência social, sendo uma das fundadoras da Pró-Matre, (hospital beneficente que tinha por objetivo acolher gestantes pobres. A matriz foi no Rio de Janeiro, mas hoje, há hospitais com esse nome em muitas cidades brasileiras) e a Associação Cruz Verde.
Todos sabem que no início do século 20 grassava, no Brasil, a fome, a febre amarela, a peste bubônica, a varíola, doenças agravadas pela subnutrição do povo. Foi nessa época que Jerônima Mesquita mais atuou.

Feliz Dia, Mulher Brasileira! \o/

Compartilhe

Acho que você vai gostar

Este espaço é todo seu!
Deixe suas sugestões, dicas, críticas... Elas irão me ajudar a melhorar!
Por favor, não xingue ou envie links de propaganda ou site, eles não serão publicados!!!!!
Obrigada e volte sempre!!
Beijo e paz! \o/
Das Emoticon Emoticon