Anastasia

Anastasia Uma encantadora mistura de aventura, romance, comédia e musical, este aclamado espetáculo da animação conta a história lendária de Anastásia, a filha mais jovem do Czar Nicolau II da Rússia.
Aparentemente o Czar e toda a sua família morreram durante a Revolução Russa, mas após alguns anos surge um boato de que a Princesa Anastasia teria sobrevivido. Como a sua avó, a grã-duquesa imperial que vive em Paris, ofereceu uma recompensa de 10 milhões de rublos para quem encontrasse a sua neta, apareceram várias “Anastasias” a sonhar com a recompensa.
Anos mais tarde... Anya, uma jovem órfã que não se lembra do seu passado e luta para descobrir sua verdadeira identiadade, encontra o belo e charmoso Dimitri, que procura uma jovem que se pareça com a princesa desaparecida e, assim, possa ganhar a recompensa.
Mas, ao partirem para Paris em busca do legado de direito de Anastasia, eles têm que enfrentar uma incrível batalha contra o malvado monge Rasputin e seu ajudante inseparável, Bartok, o morcego.

A Fox investiu forte neste desenho animado que pretendeu enfrentar o domínio da Disney no gênero.
Recebeu 2 indicações ao Oscar, nas seguintes categorias: Melhor Canção Original ("Journey to the Past") e Melhor Trilha Sonora - Comédia/Musical.
Recebeu 2 indicações ao Globo de Ouro, ambas na categoria de Melhor Canção Original, pelas canções "Journey to the Past" e "Once Upon a December".
O orçamento de Anastasia foi de 53 milhões de dólares e arrecadou mais de 120 milhões de dólares nas bilheterias de todo o mundo.
Baseado em Anastásia, a Princesa Esquecida (1956)

Ok, essa foi a ficção, mas a realidade é outra e bem diferente...

Na noite de 17 de julho, a família Romanov, seus criados e o médico da família, foram acordados no meio da noite. Levaram-nos para o porão da casa Ipatiev, onde estavam hospedados, e lá foram colocados numa sala vazia. O comandante da casa Ipatiev, Yakov Yurovski, leu para o czar Nicolau II Romanov uma sentença de morte. Vários homens que faziam parte do pelotão, dispararam contra o grupo. O czar e a czarina morreram na hora, mas as grã-duquesas não foram atingidas mortalmente. Então, acabaram de matá-las usando as baionetas.
Embora não seja comprovado, as ordens provavelmente partiram do então lider revolucionário Vladimir Ulianov – Lenin.

Os restos mortais da família foram desenterrados perto de Yekaterinburgo em 1991. Os corpos foram destruídos com ácido e escondidos num bosque na periferia da cidade.

ANASTÁSIAS...
O caso mais famoso foi o de Anna Anderson, conhecida como sra.Tchaikowski. Apareceu em Berlim em 1920 numa tentativa de suicídio e dois anos depois começou a alegar ser Anastasia, a filha de Nicolau II, o último czar.

Dizia que, depois dos assassinatos, um dos homens, chamado Tchaikowski, descobriu que uma das meninas estava viva e resolveu salvá-la. Segundo Anna, Tchaikowski levou-a para casa de pessoas amigas suas e depois para sua própria casa. No meio do desenrolar da história ele a estuprou e Anna teve um filho, deixado num orfanato, quando ela foi para a Alemanha (a czarina, mãe de Anastasia, era alemã), à procura de seus parentes exilados pela revolução.

Foi descoberta por russos monarquistas exilados na Alemanha. Alguns membros da família imperial chegaram a reconhecê-la como Anastasia, mas depois desmentiram o fato, o mesmo aconteceu com professores e serviçais. Somente poucos sustentaram até o fim suas opiniões iniciais.

Anna Anderson, foi denunciada como uma farsa pelos testes de DNA feitos depois que ela morreu nos Estados Unidos em 1984.
Até hoje não se explica como ela poderia ter tantos conhecimentos de fatos secretos que somente membros da família imperial ou altos funcionários da corte poderiam ter. O que Anna Anderson sabia era muito mais do que uma pessoa comum poderia saber sobre a família imperial, inclusive segredos de estado.

Eleonora Albertova, uma imigrante russa, chegou à aldeia búlgara de Gabarevo em 1922 ou 1923, escapando da Rússia bolchevique. Tinha duas cicatrizes de balas no rosto e no peito.
Moradores locais ficaram impressionados com a mulher russa, que falava várias línguas, tocava piano, tinha maneiras refinadas e que nunca revelou sua origem.
Logo depois dela, outros russos começaram a chegar. Todos compartilhavam um sentimento de adoração e um tipo de respeito por Eleonora, como se ela fosse sua líder.

Viveu com outros dois russos, George Zhudin, um jovem de saúde frágil (que morreu de tuberculose em 1930) e que alguns diziam ser seu irmão, Aleksei Romanov, e Dr. Peter Alekseev, com quem era casada. Morreu em 1954.

Bem, são histórias - ou não!
Se você der uma pesquisada básica, encontrará muitas outras versões.
Se alguma é verdadeira ou não... nada foi provado ainda.

Compartilhe

Acho que você vai gostar

3 pessoas comentaram

Write pessoas comentaram
Anônimo
2.10.10 delete

adoro essa historia e minha favorita

Reply
avatar
5.11.12 delete

Em 1995 acharam os corpos dos Romanovs. Eles foram canonizados pela igreja ortodoxa russa. e jazem em uma igreja construída em cima do local onde morreram.

Reply
avatar
9.11.12 delete

Valeu pelas informações, Clio!
Abs,
Das

Reply
avatar

Este espaço é todo seu!
Deixe suas sugestões, dicas, críticas... Elas irão me ajudar a melhorar!
Por favor, não xingue ou envie links de propaganda ou site, eles não serão publicados!!!!!
Obrigada e volte sempre!!
Beijo e paz! \o/
Das Emoticon Emoticon